Sobrevivendo a uma família narcisista

No contexto familiar, a ausência da empatia pode criar feridas emocionais profundas nos filhos, que são usados como extensão dos pais e desencorajados a desenvolver o seu próprio eu autêntico, conforme artigo da psicoterapeuta familiar, especialista no tratamento de vítimas de violência doméstica e co-dependência, Karyl McBride, publicado no periódico Psychology Today:

familia_narcisista

“Na família narcisista, só existe uma estrela, e essa é o narcisista. Todos revolvem ao seu redor. O amor, o acolhimento, os cuidados e a liberdade de expressão são reprimidos e substituídos por abusos (psicológicos, físicos, etc) e controle.

Nessas famílias existe uma regra não escrita que é a de não discutir essa dinâmica que deve ser mantida como um segredo de família. Os limites podem ser muito rígidos ou inexistentes. Os filhos são usados como extensão dos pais e não são encorajados a desenvolver o seu próprio EU autêntico. Eles são forçados a assumir papéis que refletem a disfunção da família; ou seja: acabam servindo de tela de projeção da patologia dos pais”.

Segundo a Drª  Karyl McBride em seu artigo The Narcissistic Family Tree, a pesquisa e a experiência clínica mostram que os filhos adultos de famílias narcisistas têm muita dificuldade de descobrir exatamente o que há de errado, por que a negação é extremamente intensa no sistema familiar narcisista.

Tipicamente, o filho de uma família narcisista está repleto de raiva não reconhecida e se sente como uma pessoa vazia, inadequada, defeituosa. Ele pode sofrer episódios esporádicos de ansiedade e depressão sem  ter ideia de como foi que ele ficou assim.

Aqui estão enumeradas algumas dinâmicas de relacionamento neste sistema intergeracional profundamente disfuncional. Lembre-se de que há variações no grau de disfunção dependendo do grau de narcisismo patológico do pai, da mãe ou de ambos:

Segredos: O segredo dessa família é que os pais não suprem as necessidades emocionais dos seus filhos e/ou eles são abusivos de alguma forma. Essa é a norma em uma família narcisista. A mensagem que as crianças recebem é: “Não diga nada para os outros… finja que está tudo bem.”

Imagem: Para a família narcisista, imagem é tudo. Os filhos recebem as seguintes mensagens: “O que é que os vizinhos vão dizer?” “O que é que os parentes vão pensar?”. Essas são preocupações frequentes na família narcisista.

Mensagens negativas: Os filhos recebem mensagens verbais ou não verbais que depois ficam internalizadas. Mensagens típicas são: “Você não é bom o suficiente.” “Você só é valorizado pelo que você faz e não por quem você é.”

Falta de sintonia emocional: Pais narcisistas não têm a capacidade de entrar em sintonia com seus filhos. Eles não conseguem sentir empatia e nem amor incondicional. Eles são tipicamente críticos e preconceituosos.

Falta de comunicação efetiva: A forma mais comum de comunicação em uma família narcisista é através da triangulação. Isso significa que a informação não é dita diretamente e sim através de um terceiro. Os membros da família falam de uns com os outros, mas não se confrontam diretamente. Isso cria comportamento passivo-agressivo, tensão e desconfiança entre os membros da família. Quando a comunicação é direta, ela geralmente acontece em forma de raiva e fúria.

Falta de limites: Há poucos limites na família narcisista. Os sentimentos dos filhos não importam. Diários e correspondências são lidos, limites físicos não são respeitados. O direito a privacidade não costuma fazer parte da historia familiar.

Um dos pais é narcisista, o outro fica orbitando: Se um dos pais é narcisista é comum o outro ficar orbitando em função dele para manter o casamento intacto. Algumas vezes o pai ou mãe não narcisista terá algumas qualidades redentoras para dar aos seus filhos, mas ele(a) ficará amarrado tentando satisfazer as necessidades do esposo(a) narcisista. Isso frequentemente deixa os filhos sem terem suas necessidades satisfeitas. Quem é que está lá para eles?

Os irmãos não são encorajados a serem próximos: Em famílias saudáveis, os irmãos são encorajados a serem amorosos e próximos uns dos outros. Na família narcisista os filhos são colocados uns contra os outros e aprendem a competir uns com outros. Existe muita comparação entre quem está se sobressaindo melhor. Alguns filhos ou um deles é mais “favorecido” do que o(s) outro(s). Um é visto como o “filho de ouro”, e o outro se torna o “bode expiatório” onde os pais projetam seus sentimentos negativos. Em famílias narcisistas os irmãos raramente crescem se sentindo emocionalmente conectados uns com os outros.

Sentimentos: Os sentimentos são negados e não discutidos. Os filhos aprendem a engolir e reprimir seus sentimentos. Pais narcisistas geralmente não estão em contato com seus próprios sentimentos e por isso projetam seus sentimentos nos outros. Isso implica em não assumir a responsabilidade e na falta de honestidade. Sentimentos não processados acabam vazando de formas nada saudáveis.

Mensagem de “não ser bom o bastante”: Em famílias narcisistas essa mensagem está sempre presente de uma forma ou de outra. Mesmo que o comportamento do narcisista seja arrogante e cheio de gabarolices, por trás desse verniz o narcisista possui a psique de alguém que não se gosta, e isso é transmitido para a criança.

Disfunção óbvia ou encoberta: A dinâmica das famílias narcisistas podem ser óbvias ou camufladas. A dinâmica presente em lares aonde ocorrem abusos violentos é geralmente óbvia, mas quando os abusos são emocionais e psicológicos, como no caso de pais negligentes, ela é geralmente encoberta.

Considerando essa dinâmica, é fácil ver que essa é uma família que pode parecer bela por fora, mas como diz o antigo ditado: “Por fora bela viola, por dentro pão bolorento”. Se você se reconhecer nesta dinâmica, saiba que há esperança e que sua recuperação é possível.

Nós não podemos mudar o passado, mas podemos assumir o controle do nosso presente. 

Nós não precisamos nos definir pelas feridas do nosso sistema familiar.

Anúncios

2 comentários

  1. Tenho pais assim. Minha mãe espancava eu com meu irmão deste criança com cabo de vassoura. Ela sempre está certa. Não admite está errada. Depois de certa idade não podia bater porque crescemos começou a ofensa agressoes palavras. E ele (pai) nunca protegeu a gente (eu e irmão vivia em bar. Preferia passar dia fora da casa e deixa os filhos a mercê da louca da mãe. Ele egoísta. Como gostaria de ter fugido ou morrido ao nascer. Do que ser criado nesse ambiente. Até hoje não superei.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s